Notícias » Ciência e Saúde

 

Últimas notícias

  • 10/11 15:04 - Mais de 100 toneladas de lixo são encontradas em penitenciárias de Itamaracá

    Continuar lendo
  • 9/11 21:13 - Mega-Sena especial tem 3 sorteios e prêmio de R$ 55 milhões nesta semana

    Continuar lendo
  • 9/11 21:09 - Campanha contra câncer de próstata do Hospital Português vai atender até 300 homens

    Continuar lendo
  • 9/11 21:08 - Atentado com mulheres-bomba deixa 4 mortos no Camarões

    Continuar lendo
  • 9/11 21:06 - OAB fechará posição sobre apoio ou não ao impeachment no início de dezembro

    Continuar lendo
  • 9/11 21:04 - Relator setorial do Bolsa Família contraria Barros e rejeita corte

    Continuar lendo
  • 9/11 20:59 - UPE começa a divulgar os cartões de inscrição do SSA3

    Continuar lendo
  • 9/11 20:58 - Agência do Trabalho oferece vagas de emprego em Santa Cruz do Capibaribe

    Continuar lendo
  • 9/11 20:57 - Duas mulheres morrem após colisão entre carro e cavalo em Garanhuns

    Continuar lendo
  • 9/11 20:56 - Família diz que menino morreu atropelado por metrô no Recife

    Continuar lendo

Proteste constata que fumaça de 5 marcas de incenso contém substâncias cancerígenas

Sexta-feira, 30 de Outubro de 2015 às 21:03

A Proteste (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) testou cinco marcas de incensos e constatou que os produtos exalam substâncias altamente tóxicas na fumaça. Todas as marcas analisadas emitiram benzeno e formaldeído acima dos níveis considerados seguros e por isso muito prejudiciais a saúde. Em quantidade acima do permitido, podem causar, entre outras doenças, problemas respiratórios e, o pior, vários tipos de câncer.

Além dos incensos, foram testadas cinco marcas de velas perfumadas e outras cinco de óleos essenciais. Entre as velas perfumadas, apenas duas mostraram resultados seguros. Já no quesito óleos essenciais, todas as marcas avaliadas apresentaram resultados dentro dos níveis de segurança.

Para o teste, foi feita uma análise da rotulagem e simulação de uso em ambiente parecido com uma sala de estar, com a medição da concentração das principais substâncias nocivas emitidas pela queima desses produtos. Os resultados das análises foram encaminhados para a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), com requerimento de fiscalização e mudança da categorização dos produtos.

A Proteste também pediu providências ao Ministério Público Federal (MPF) já que, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor, qualquer produto colocado no mercado de consumo não pode representar riscos à saúde ou à segurança do consumidor.

© Verdade FM
BRLOGIC