Notícias » Economia e Negócios

 

Últimas notícias

  • 10/11 15:04 - Mais de 100 toneladas de lixo são encontradas em penitenciárias de Itamaracá

    Continuar lendo
  • 9/11 21:13 - Mega-Sena especial tem 3 sorteios e prêmio de R$ 55 milhões nesta semana

    Continuar lendo
  • 9/11 21:09 - Campanha contra câncer de próstata do Hospital Português vai atender até 300 homens

    Continuar lendo
  • 9/11 21:08 - Atentado com mulheres-bomba deixa 4 mortos no Camarões

    Continuar lendo
  • 9/11 21:06 - OAB fechará posição sobre apoio ou não ao impeachment no início de dezembro

    Continuar lendo
  • 9/11 21:04 - Relator setorial do Bolsa Família contraria Barros e rejeita corte

    Continuar lendo
  • 9/11 20:59 - UPE começa a divulgar os cartões de inscrição do SSA3

    Continuar lendo
  • 9/11 20:58 - Agência do Trabalho oferece vagas de emprego em Santa Cruz do Capibaribe

    Continuar lendo
  • 9/11 20:57 - Duas mulheres morrem após colisão entre carro e cavalo em Garanhuns

    Continuar lendo
  • 9/11 20:56 - Família diz que menino morreu atropelado por metrô no Recife

    Continuar lendo

Dólar sobe e volta a R$ 3,80 após queda de mais de 2% na véspera

Quarta-feira, 4 de Novembro de 2015 às 21:05

O dólar opera em alta sobre o real nesta quarta-feira (4), devolvendo parte da forte baixa da véspera, com o mercado à espera de declarações da presidente do Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos), Janet Yellen, em busca de sinais sobre o rumo da taxa de juros americana.

Às 13h15 (de Brasília), o dólar comercial, utilizado em transações de comércio exterior, subia 0,90%, para R$ 3,804 na venda. Já o dólar à vista, referência no mercado financeiro, tinha valorização de 1,33%, para R$ 3,802. Entre as 24 principais moedas emergentes do mundo, o dólar subia sobre 13.

A presidente do Fed vai responder a perguntas na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos nesta sessão. A expectativa é que Yellen dê novos sinais sobre quando o Fed pretende começar a subir a taxa de juros americana.

Em sua última reunião, outubro, a autoridade monetária dos EUA deixou em aberto a possibilidade de elevação dos juros em dezembro deste ano. As taxas dos contratos americanos de juros futuros indicam chance de 52% de um aperto ocorrer no próximo mês.

Os sinais emitidos pelo Fed sobre quando e em quanto elevarão os juros do país têm causado turbulência no mercado financeiro. A expectativa é que a alta provoque uma fuga de recursos aplicados em países emergentes para os Estados Unidos, encarecendo o dólar.

Isso porque a mudança deixaria os títulos do Tesouro americano, cuja remuneração reflete a taxa de juros, mais atraentes que aplicações em mercados emergentes, considerados de maior risco.

A notícia de que os empregadores privados dos EUA abriram 182 mil vagas de trabalho em outubro, um pouco acima das expectativas dos economistas, reforçou nesta quarta a cautela sobre um aumento de juros em dezembro. Os dados foram divulgados pela processadora de folhas de pagamento ADP. Na sexta-feira será divulgado o relatório de emprego oficial do país.

 

ALÍVIO

Mesmo com a leve valorização desta sessão, o dólar acumula queda de mais de 4% sobre o real desde o início do mês passado. A moeda americana também perde força sobre outras divisas emergentes, como a lira turca, no mesmo período.

O movimento global reflete o alívio trazido pela expectativa de continuidade dos estímulos econômicos na Europa e na Ásia e a menor preocupação com a desaceleração da economia chinesa.

Internamente, o cenário político mais ameno, com a proximidade do recesso parlamentar e a perspectiva de que decisões importantes não deverão ser aprovadas até o fim deste ano, também colabora para a desvalorização do dólar desde o mês passado.

Além do alívio externo, a expectativa de entrada de recursos no país foi reforçada na véspera com a notícia de que a Hypermarcas vendeu sua área de cosméticos para a multinacional Coty por cerca de R$ 3,8 bilhões, embora o pagamento esteja previsto somente para o segundo trimestre do ano que vem.

 

AÇÕES EM ALTA

O principal índice da Bolsa brasileira operava em alta nesta quarta-feira, ampliando o ganho da véspera, quando registrou seu maior avanço diário em quase um ano. Às 13h15, o Ibovespa subia 0,35%, para 48.220 pontos. O volume financeiro girava em torno de R$ 2,7 bilhões.

No exterior, os mercados acionários dos EUA operavam perto da estabilidade, enquanto os índices de ações europeus tinham leves ganhos.

A valorização das ações preferenciais da Vale, mais negociadas e sem direito a voto, ajudava a sustentar o ganho do Ibovespa. Esses papéis subiam 0,41%, para R$ 14,46. Com alta de 1,20%, o Itaú também colaborava para o desempenho positivo do Ibovespa na sessão. Este é o papel com maior peso dentro do índice.

Em sentido oposto, as ações preferenciais da Petrobras caíam 3,18%, para R$ 8,21, devolvendo parte do forte ganho de quase 10% na sessão anterior.

© Verdade FM
BRLOGIC