Notícias » Ciência e Saúde

 

Últimas notícias

  • 10/11 15:04 - Mais de 100 toneladas de lixo são encontradas em penitenciárias de Itamaracá

    Continuar lendo
  • 9/11 21:13 - Mega-Sena especial tem 3 sorteios e prêmio de R$ 55 milhões nesta semana

    Continuar lendo
  • 9/11 21:09 - Campanha contra câncer de próstata do Hospital Português vai atender até 300 homens

    Continuar lendo
  • 9/11 21:08 - Atentado com mulheres-bomba deixa 4 mortos no Camarões

    Continuar lendo
  • 9/11 21:06 - OAB fechará posição sobre apoio ou não ao impeachment no início de dezembro

    Continuar lendo
  • 9/11 21:04 - Relator setorial do Bolsa Família contraria Barros e rejeita corte

    Continuar lendo
  • 9/11 20:59 - UPE começa a divulgar os cartões de inscrição do SSA3

    Continuar lendo
  • 9/11 20:58 - Agência do Trabalho oferece vagas de emprego em Santa Cruz do Capibaribe

    Continuar lendo
  • 9/11 20:57 - Duas mulheres morrem após colisão entre carro e cavalo em Garanhuns

    Continuar lendo
  • 9/11 20:56 - Família diz que menino morreu atropelado por metrô no Recife

    Continuar lendo

Brasil, Honduras e Paraguai lideram luta contra malária, diz OPAS

Quinta-feira, 5 de Novembro de 2015 às 20:12

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) designou nesta quinta-feira (5) Brasil, Honduras e Paraguai como "campeões" na luta contra a malária em 2015 por seus programas para reduzir a propagação da doença.


"A OPAS/OMS e seus parceiros honram Brasil, Honduras e Paraguai como Campeões contra a Malária nas Américas 2015 por terem reduzido drasticamente os casos e mortes por malária nos últimos anos", informou a OPAS em comunicado.

Segundo a organização, com sede em Washington, esses três países contribuíram para uma diminuição na América de 67% dos casos detectados da doença (de quase 1,2 milhões em 2000 a 375 mil em 2014), e de 77% nas mortes (de 390 em 2000 a 89 em 2014).

O reconhecimento às iniciativas contra a malária, que a OPAS estabeleceu em 2009, destacou a sinergia dos programas governamentais em Brasil, Honduras e Paraguai com as comunidades para monitorar o surgimento da doença, provocada por um parasita ('Plasmodium falciparum') transmitido pelos mosquitos.

A instalação de mosquiteiros é um dos métodos mais efetivos para combater os contágios. 

"A região das Américas demonstrou sua capacidade para reduzir significativamente a malária", afirmou Marcos Espinal, diretor do Departamento de Doenças Transmissíveis da OPAS/OMS, destacando que os países se comprometeram a "acelerar" os esforços.

Em setembro, um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), ressaltou que a malária está retrocedendo no mundo.

Os avanços se devem à prevenção, aos tratamentos e a luta contra esta doença que afeta sobretudo as crianças, e permitiram salvar 6,2 milhões de vidas nos últimos 15 anos, segundo a OMS e a Unicef. 

A malária afeta anualmente 200 milhões de pessoas, e provoca 600 mil mortes. Cerca de 75% das vítimas são crianças menores de cinco anos. 

Em maio passado, a assembleia geral da OMS em Genebra adotou sua estratégia para os próximos 15 anos com o objetivo de conseguir uma redução de 40% dos casos para 2020 e 90% para 2030.

A OMS busca erradicar a malária em 35 novos países nos próximos 15 anos.

© Verdade FM
BRLOGIC